InicioAtualidadePobreza na Madeira é culpa exclusiva da governação errada de Albuquerque

Pobreza na Madeira é culpa exclusiva da governação errada de Albuquerque

“O facto de a Madeira ocupar a posição de região com maior risco de pobreza do País é o resultado das políticas erradas da governação de Miguel Albuquerque”. É desta forma que o presidente do PS-Madeira reage aos dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) relativos a 2021, que indicam que a taxa de risco de pobreza na Madeira se situa nos 26% (25,9%), muito acima da média nacional, que era de 16,4%.

Os indicadores revelados pelo INE mostram que, comparativamente a 2020, a taxa de risco de pobreza na Região subiu 1,7%, o que vem comprovar que, apesar de todos os alertas que têm vindo a ser feitos, inclusivamente pelo PS, a “teimosia de Miguel Albuquerque em prosseguir com o mesmo modelo de desenvolvimento gasto e ultrapassado só tem contribuído para agravar as condições de vida dos madeirenses e dos porto-santenses”, afirma Sérgio Gonçalves.

O líder dos socialistas madeirenses vai mais longe e diz mesmo que o facto de Miguel Albuquerque ter vindo a público dizer que não confia nestes dados e que os mesmos não refletem a realidade da nossa sociedade só revela que “o próprio não confia nos resultados da sua governação, a única responsável pela atual conjuntura social que se vive na Região”.

Sérgio Gonçalves recorda que desde há muito o PS tem vindo a chamar a atenção para a difícil realidade social em que vivem muitos madeirenses e a alertar para a necessidade de o Governo Regional adotar medidas responsáveis, que apostem nas pessoas, na sua capacitação e na criação de mais e melhores empregos, capazes de dar uma vida com dignidade aos cidadãos. Contudo, prossegue, “aquilo que temos visto é um Governo que ignora todas as recomendações e que persiste num modelo errado, beneficiando os que estão próximos do regime e deixando todos os outros para trás”.

Por outro lado, o presidente do PS refere que a atitude do governante só mostra que o mesmo não conhece a difícil realidade vivida por grande parte das famílias madeirenses. “Miguel Albuquerque vive fechado na realidade paralela da Quinta Vigia e ignora os reais problemas da população”, dá conta ainda Sérgio Gonçalves.

X