InicioAtualidadeMiguel Brito quer requalificar a Biblioteca e criar um Arquivo Municipal no...

Miguel Brito quer requalificar a Biblioteca e criar um Arquivo Municipal no Porto Santo

O candidato do Partido Socialista à presidência da Câmara Municipal do Porto Santo elege a Educação e a Cultura como dois vetores fundamentais para o desenvolvimento da ilha e das suas gentes. Miguel Brito preconiza um Município comprometido com uma política de desenvolvimento assente numa conceção da educação, da cultura e do desporto para todos, propondo-se a implementar várias medidas nesse sentido.

O candidato do PS tenciona requalificar a Biblioteca e criar um Arquivo Municipal, com uma aposta na progressiva digitalização dos documentos existentes. “Temos uma ilha riquíssima histórica e culturalmente e esse património merece ser salvaguardado, valorizado e colocado à disposição da nossa população e de todos aqueles que queiram conhecer e estudar o nosso passado, para melhor definirmos o nosso futuro”, afirma Miguel Brito.

Neste âmbito, o socialista defende a elaboração – em parceria com associações e outras entidades locais – de um documento orientador para uma definição da estratégia municipal para a Cultura, apoios locais e programação anual de eventos, através da criação de uma agenda cultural. Apoiar, incentivar e divulgar manifestações culturais tradicionais e inovadoras, sobretudo de porto-santenses, com foco na identidade local, são outros objetivos do candidato, que entende a democratização do acesso à cultura como um direito promotor de qualidade de vida no Porto Santo.

Por outro lado, Miguel Brito quer desenvolver uma política educativa integrada, articulada com outros agentes educativos. Neste campo, preconiza a definição, juntamente com os diversos parceiros locais, da Carta Educativa do Porto Santo. Um documento que, espera, venha a constituir-se como um instrumento de planeamento, organização e definição da política e atuação municipal no setor até 2030, assumindo, ‘a priori’, a educação ecológica como sustentáculo das políticas educativas municipais para crianças e jovens. O candidato à autarquia quer também candidatar o Porto Santo à Rede Internacional de Cidades Educadoras. “Queremos transformar o Porto Santo numa efetiva cidade educadora, em paralelo com o setor económico, social e de prestação de serviços, com prioridade nas crianças e jovens, mas integrando todos, em especial os idosos, portadores de uma história de vida identitária local, com vista à formação e desenvolvimento dos porto-santenses ao longo da vida”, explica. A requalificação da antiga escola primária da Camacha e zona envolvente, criando o Centro de Associativismo e um jardim público, assim como a requalificação do atual campo de futebol adjacente a esta infraestrutura são igualmente objetivos da candidatura encabeçada por Miguel Brito, que vinca o propósito de “promover uma política de desenvolvimento educativo e cultural assente numa visão integral dos cidadãos porto-santenses, como pessoas e profissionais, alicerçada em estratégias promotoras de educação e cultura para todos”.

X