InicioAtualidadeMarta Freitas defende comparticipação de medicamento para a epilepsia

Marta Freitas defende comparticipação de medicamento para a epilepsia

A deputada do PS-Madeira à Assembleia da República deu conta, hoje, da concordância do Grupo Parlamentar do PS para que seja aprovada a comparticipação do medicamento ‘Buccolam’, destinado ao tratamento da epilepsia.

O assunto foi levado ao Parlamento sob a forma de petição, numa iniciativa que contou com mais de 12 mil subscritores, solicitando não apenas a disponibilização do fármaco a todos os pacientes com epilepsia, mas também a sua comparticipação.

Refira-se que a epilepsia é a doença neurológica mais comum do mundo, que afeta entre 40 mil a 70 mil pessoas em Portugal, sendo que uma em cada 100 pessoas pode ser acometida pela doença.

Conforme explicou Marta Freitas, o fármaco em questão foi aprovado pela Agência Europeia do Medicamento em 2011 e começou a ser vendido noutros países europeus, sendo frequente a ida de portugueses a Espanha nos últimos anos para a sua aquisição, mediante prescrição médica.

Entretanto, o medicamento já pode ser obtido nas farmácias portuguesas, o que representa um avanço importante para a confiança e qualidade de vida de muitas crianças e jovens que sofrem de epilepsia. Mas, como reconheceu, há agora um outro caminho ainda a ser feito, o da comparticipação da solução oral.

Marta Freitas referiu que o processo de avaliação para a comparticipação deste medicamento está já a decorrer, esperando que o mesmo “seja o mais célere possível”.  “O PS tem um historial que me permite afirmar a sensibilidade desta bancada para a viabilização de medicamentos e sua comparticipação, em especial que possam fazer diferença na vida de alguém que sofre de doença crónica e incapacitante”, sublinhou a deputada, vincando que esta é uma medida benéfica para os doentes de todo o País, onde se incluem, naturalmente, os da Região.

X