InicioAtualidadeRecusa do Governo Regional em baixar impostos “é inaceitável” face às dificuldades...

Recusa do Governo Regional em baixar impostos “é inaceitável” face às dificuldades que os madeirenses atravessam

Sérgio Gonçalves desafia o presidente do Governo Regional a seguir os passos dos Açores e baixar os impostos na Região.

Numa altura em que os dois Governos estão reunidos numa cimeira insular, o líder do PS Madeira lembra que o Governo açoriano optou por reduzir o IVA naquela região, precisamente no Dia da Região Autónoma da Madeira e das Comunidades Madeirenses, em 2021.

O presidente do Partido Socialista-Madeira insiste na necessária e urgente redução de impostos na Região e desafia o Governo Regional a vir a público explicar aos madeirenses por que razão é que, tendo todas as condições para o fazer, insiste em não aliviar os orçamentos das famílias num momento em que atravessam enormes dificuldades.

Sérgio Gonçalves não aceita que o Executivo continue a sacrificar os madeirenses à custa da alta tributação, quando a Madeira tem autonomia para aplicar o diferencial fiscal de 30% no IVA e no IRS em relação ao continente, algo que, aliás, a Região Autónoma dos Açores já faz.

O líder dos socialistas madeirenses recupera os números hoje mesmo apontados pelo seu vice-presidente, Miguel Iglésias, que indicam que a Região deverá arrecadar este ano 87 milhões de euros acima do previsto em receita de IVA, graças ao aumento da inflação e à teimosia em não baixar as taxas do referido imposto.

“É inaceitável e imoral que o Governo Regional continue a ver os madeirenses empobrecerem à mesma velocidade com que os cofres públicos vão enriquecendo, sem que tome medidas para ajudar as famílias a fazerem face ao aumento galopante do custo de vida”, considera Sérgio Gonçalves, vincando que as receitas extraordinárias que o Executivo está a arrecadar dão-lhe margem suficiente para baixar a carga fiscal.

Como se não bastasse o excedente orçamental conseguido graças à inflação e à recusa do Governo de Miguel Albuquerque em aliviar os orçamentos das famílias madeirenses, o presidente do PS-Madeira faz questão de sublinhar que a aplicação do diferencial fiscal de 30% no IVA e no IRS constitui um direito dos madeirenses, precisamente para poderem fazer face à sua condição insular.

O mesmo se passa em relação ao IRS, imposto no qual os madeirenses pagam mais do que os açorianos em sete dos nove escalões. “O Governo Regional deve uma explicação séria e até um pedido de desculpas aos madeirenses, por continuar imperturbável e insensível enquanto disparam as dificuldades das famílias e a Madeira cimenta a sua posição de região com o maior índice de risco de pobreza e exclusão social e o menor poder de compra do País”, sustenta o presidente do PS-Madeira.

Sérgio Gonçalves refere também que esta recusa do Governo Regional do PSD-CDS em baixar os impostos e ajudar as famílias a enfrentarem a conjuntura atual reveste-se ainda de maior gravidade se atendermos ao facto de que o Executivo se prepara para enterrar milhões e milhões de euros em obras de necessidade duvidosa, nomeadamente a ampliação da Pontinha, que custará cerca de 150 milhões de euros.

X