InicioAtualidadePS chama Albuquerque e empresários ao Parlamento para explicarem pressões e favorecimentos

PS chama Albuquerque e empresários ao Parlamento para explicarem pressões e favorecimentos

O Partido Socialista vai solicitar a ida do presidente do Governo Regional e dos empresários Avelino Farinha e Luís Miguel de Sousa ao Parlamento, para prestarem esclarecimentos sobre as acusações feitas pelo deputado Sérgio Marques relativas a favorecimentos do Executivo a grupos económicos e cedência a pressões.

Esta manhã, em conferência de imprensa realizada junto ao edifício do Governo Regional, o presidente do PS-M classificou como “gravíssimas” as afirmações relacionadas com a cedência do Governo a pressões dos empresários, as “obras inventadas” e os “investimentos loucos” feitos pela Sociedades de Desenvolvimento. Conforme referiu Sérgio Gonçalves, trata-se de uma situação que merece o devido escrutínio, motivo pelo qual o PS já deu entrada na Assembleia Legislativa da Madeira a um requerimento para a constituição de uma comissão de inquérito.

Tendo em conta a gravidade das acusações, o líder dos socialistas adiantou que o PS vai chamar Miguel Albuquerque a prestar esclarecimentos aos deputados e, sobretudo, aos madeirenses. Do mesmo modo, será solicitada a ida ao Parlamento dos empresários visados, Avelino Farinha, Luís Miguel de Sousa, bem como administradores da Tecnovia e das Sociedades de Desenvolvimento.

Trata-se, como sublinhou Sérgio Gonçalves, de um tema extremamente importante e que o PS “não deixará cair no esquecimento, por mais que Miguel Albuquerque o queira esconder ou evitar”.

O presidente do PS-M frisou ainda o facto de estarmos perante afirmações de um alto quadro do PSD, de um ex-governante que, inclusivamente, se sentiu visado por essas pressões e por essa cedência do presidente do Governo Regional a determinados interesses, pelo que “é extremamente importante que Miguel Albuquerque esclareça se foi ou não pressionado e se estas situações continuam a existir”.

“Os madeirenses não querem um governo fraco, permeável a pressões externas e que ceda a todo este tipo de influências que, aparentemente, Sérgio Marques quis denunciar”, rematou.

X