InicioAtualidadeMiguel Costa Matos defende criação de Plano Regional de Juventude

Miguel Costa Matos defende criação de Plano Regional de Juventude

O deputado à Assembleia da República e secretário-geral da Juventude Socialista, Miguel Costa Matos, defende a necessidade de criação de um Plano Regional de Juventude, que contemple políticas públicas capazes de dar resposta aos desafios e às dificuldades com que os jovens se confrontam.

Miguel Costa Matos, que hoje foi o orador convidado nas Jornadas Parlamentares do PS, subordinadas à temática da Juventude, sublinhou que há um vasto conjunto de políticas que devem ser adotadas com um plano coerente. “Com o PS na Câmara do Funchal, foi possível criar o primeiro Plano Municipal de Juventude, o Governo do PS na República criou o primeiro Plano Nacional da Juventude e, quando vencermos as próximas eleições regionais aqui no próximo ano, não tenho dúvidas de que o PS Madeira também criará o primeiro Plano Regional de Juventude”, afirmou.

O deputado socialista em São Bento apontou a necessidade de implementar medidas que criem mais oportunidades e que permitam fixar mais jovens na Região, acrescentando que é fulcral uma política pública de habitação que apoie os jovens a terem casa própria. “É necessário conseguirmos identificar porque é que os jovens não conseguem sair de casa dos pais e não conseguem arranjar um emprego estável. Nós temos de procurar conseguir apoiá-los no imediato, no início da sua vida profissional”, frisou.

Por outro lado, Miguel Costa Matos defendeu que urge implementar na Madeira a gratuitidade dos manuais escolares, considerando que é inexplicável que esta medida ainda não vigore na Região, assim como a gratuitidade das creches.

Outra proposta sugerida pelo secretário-geral da JS seria a criação de um programa de apoio aos estágios curriculares, fixando os jovens, à semelhança do que já é feito nos Açores.

Geração mais qualificada de sempre é a que tem maiores dificuldades

Por seu turno, o presidente do Grupo Parlamentar do PS deu conta da importância do debate sobre as questões da Juventude, geração que hoje é a principal prejudicada pelos grandes falhanços do Governo Regional ao longo destes anos.

“Temos a geração mais qualificada de sempre e que é também a que tem mais dificuldades atualmente”, constatou Rui Caetano, lembrando os milhares de jovens que tiveram de emigrar porque a Região não foi capaz de lhes dar condições para se fixarem e constituírem família.

O líder da bancada parlamentar socialista frisou que há que lançar um conjunto de políticas públicas de juventude adequadas à atualidade. “Estamos na era da digitalização, na era tecnológica e as políticas públicas de juventude têm de ir ao encontro desta realidade. Temos de dar oportunidade aos jovens para que estes consigam construir os seus futuros”, afirmou Rui Caetano, vincando a necessidade de dar particular atenção às questões do emprego e dos melhores salários.

Escolaridade gratuita tem de ser um desígnio da Região

Já o presidente da JS Madeira alertou que a escolaridade gratuita tem de ser um desígnio da Região Autónoma da Madeira. “Somos a única região sem manuais escolares gratuitos e o Governo Regional continua a empurrar o problema para debaixo do tapete”, acusou Pedro Calaça Vieira.

O também deputado na Assembleia Legislativa da Madeira criticou também a política de habitação seguida pelo Governo Regional. “Não é com habitações a custos controlados de 190 mil euros que um jovem conseguirá a sua primeira habitação. Não é com medidas para inglês ver que um jovem irá sair de casa dos seus pais”, afirmou, defendendo medidas de apoio à aquisição de casa própria e ao arrendamento, assim como melhores salários.

X