InicioAtualidadeATIVAÇÃO DA UNIDADE DE MEDICINA NUCLEAR IMPLICA MAIS INVESTIMENTO

ATIVAÇÃO DA UNIDADE DE MEDICINA NUCLEAR IMPLICA MAIS INVESTIMENTO

Todavia, referiu que há algumas questões que se colocam: 

O SESARAM, neste momento, tem quadros técnicos e médicos suficientes para garantir o serviço de medicina nuclear no sistema regional? 

Os equipamentos mantêm-se funcionais passados três anos sem utilização? 

Há condições para garantir a segurança e a qualidade dos serviços de medicina nuclear pelo sistema regional, que estão a passar pelas dificuldades que todos nós conhecemos? 

Sofia Canha ressalvou que a área da medicina nuclear tem dado para mangas em termos de notícias, polémicas, sobretudo desde 2013, quando foi inaugurado um serviço de medicina nuclear na Madeira que custou cinco milhões de euros e que traria múltiplas vantagens. Poupanças em deslocações dos utentes ao SESARAM, evitando transtornos aos utentes, permitindo uma relação de proximidade com os clínicos, para um tratamento mais eficaz. Mas, para isso, implicaria, naturalmente, a formação específica de pessoal, que trabalharia na unidade. 

Por fim, sublinhou “estando assegurados estes pressupostos da qualidade e segurança, o PS-M é favorável à ativação da unidade de medicina nuclear”.

 

 

X