InicioAtualidadeANTÓNIO COSTA INDIGITADO PRIMEIRO-MINISTRO (3)

ANTÓNIO COSTA INDIGITADO PRIMEIRO-MINISTRO (3)

O líder socialista considerou que a indigitação de Costa foi “tardia”, mas entende que é uma boa notícia. O que é fundamental, agora, é que o governo comece imediatamente a trabalhar e a governar. Deve ser constituído o mais brevemente possível, e devem ser feitos esforços de modo a se ultrapassarem os prazos constitucionais nesta matéria, para que o programa de Governo seja rapidamente discutido na Assembleia da República. 

Nesta ocasião, Carlos Pereira aproveitou para fazer um apelo ao presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, no sentido que dê indicações para que algumas medidas que já se conhecem, do programa de Governo do PS, sejam desde já integradas no orçamento regional. 

Em particular, à restituição de salários na função pública, que será confirmada com o orçamento de 2016, a qual “naturalmente não será aprovada agora, mas já deve ficar inserida no nosso orçamento regional, até porque haverá uma lei para garantir que a partir de Janeiro de 2016 essa restituição de salários comece a acontecer”. 

É importante que Albuquerque se prepare para algo “muito importante para a Madeira”: a redução da taxa do IVA para a restauração, para os 12 por cento. Esta, afirmou, é uma excelente notícia para os madeirenses. “Sabemos bem a importância que a restauração tem para o turismo, e na RAM, não apenas pela criação de riqueza, mas também pelo emprego que tem criado e continuará a criar na Região”, refere. O presidente do PS-M sublinhou que estas medidas irão alavancar de forma significativa o crescimento da economia e do emprego. 

Por fim, o PS-M deixou ainda a garantia de que “tudo faremos para que o programa de Governo do Partido Socialista venha cumprir aquilo que são as nossas reivindicações perante a Madeira. Não vão ser tempos fáceis, não resolveremos tudo de uma vez, não se esperam milagres desta governação”, afirmou. 



X