Convenção Autárquica
«O PSD lembrou-se que tem de ganhar eleições e é agora, só neste momento, que estão a trabalhar para isso, enquanto nós estamos a trabalhar desde o primeiro momento pelas pessoas e não nos esquecemos disso»
Convenção Autárquica
«O PS não defende há muito tempo estas medidas que Miguel Albuquerque está a apresentar agora. O PS já executa estas medidas onde é poder. Essa é que é a grande diferença»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«O futuro da Madeira começou hoje. Vamos todos arregaçar as mangas!»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«A nossa marca é a proximidade e o envolvimento dos cidadãos, da sociedade civil, na construção de um futuro comum»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«Nós não queremos mudar o poder pelo poder. Temos uma estratégia de desenvolvimento para a Região assente numa agenda social, humanista, progressista, mas que quer, acima de tudo, mudar aquilo que tem sido um paradigma de um governo Regional que tem governado para o partido, tem governado para alguns interesses, não tem governado para o coletivo»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«Temos uma Região que não tem petróleo nem diamantes, mas temos as pessoas, pessoas que querem concretizar sonhos, construir o futuro, que são trabalhadoras, empreendedoras e resilientes. É nestas pessoas, na sua educação, que nós devemos apostar, na qualificação da nossa população, porque esse é e será o principal fator de desenvolvimento»
1

CAFÔFO AINDA NÃO GOVERNA E JÁ CONDICIONA ORÇAMENTO

Apesar de ainda não estar à frente do executivo madeirense, Paulo Cafôfo é já uma condicionante no Orçamento da Região para 2019. Quem o diz é Victor Freitas, líder parlamentar do PS-Madeira que acredita que as medidas positivas que surgem no documento estão lá devido à pressão imposta ao PSD pela candidatura de Cafôfo às Eleições Regionais do próximo ano.

Para o compreender é preciso analisar primeiramente as medidas fixadas no programa de Governo em 2015 e as que constam no Orçamento para 2019. Sendo o último deste executivo “devia servir para fechar e acertar o contracto que estabeleceram com o povo nas eleições e através do Programa de Governo. O que nós detetámos numa primeira leitura deste ORAM é que as medidas que prometeram no programa de governo não têm cabimento orçamental”, afirma Victor Freitas, dando como exemplos a redução da lista de espera para cirurgias, as altas problemáticas ou a construção de novos lares e o ferry todo o ano.

“Vemos algumas medidas positivas, medidas essas que foram condicionadas pelo calendário eleitoral. Não temos dúvidas que essas medidas são tomadas em virtude de o partido socialista se apresentar a estas eleições com condições para derrotar pela primeira vez o PSD. O nosso candidato Paulo Cafôfo condiciona toda a abordagem por parte do Governo”, disse o líder da bancada socialista.

“Não governando ainda, já condiciona aquele que é o último orçamento que o PSD apresenta na Assembleia Regional”, concluiu.

redes sociais

agenda

acção socialista | digital

 

militante

 

Vídeos

 

newsletter

Inscreva-se na nossa newsletter para saber as últimas novidades!