Para aceder ao programa da Convenção Autárquica clique sobre a imagem.
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«O futuro da Madeira começou hoje. Vamos todos arregaçar as mangas!»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«A nossa marca é a proximidade e o envolvimento dos cidadãos, da sociedade civil, na construção de um futuro comum»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«Nós não queremos mudar o poder pelo poder. Temos uma estratégia de desenvolvimento para a Região assente numa agenda social, humanista, progressista, mas que quer, acima de tudo, mudar aquilo que tem sido um paradigma de um governo Regional que tem governado para o partido, tem governado para alguns interesses, não tem governado para o coletivo»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«Temos uma Região que não tem petróleo nem diamantes, mas temos as pessoas, pessoas que querem concretizar sonhos, construir o futuro, que são trabalhadoras, empreendedoras e resilientes. É nestas pessoas, na sua educação, que nós devemos apostar, na qualificação da nossa população, porque esse é e será o principal fator de desenvolvimento»
1

GOVERNO REGIONAL RECEBEU OS 30 MILHÕES PARA A RECUPERAÇÃO DOS INCÊNDIOS DE 2016 E SÓ EXECUTOU 924 MIL

A propósito dos alegados 30 milhões de euros de apoio às vítimas dos incêndios de 2016, o Grupo Parlamentar do PS-M enviou um comunicado às redações, no qual acusa o Governo Regional de ser incompetente em relação à utilização desse montante.

“O Governo Regional tem sido incompetente em relação à utilização dos 30 milhões de euros disponibilizados. O Governo Regional só executou 924 mil euros, ou seja, cerca de 2,8% do total da verba, até julho deste ano. Se o Governo PSD mantiver a atual taxa de execução, levará 70 anos a gastar os 30 milhões de euros”, escreve o líder do grupo parlamentar do PS, Victor Freitas.

“É entendimento do PS que o Governo PSD está a executar pouco com o objetivo de culpar o Governo da República. Esta situação é gravíssima, porque há um governo que está prejudicando as vítimas dos incêndios só com objetivos eleitorais, o que é vergonhoso a todos os níveis.

Gravíssimo é que também tenta iludir o senhor Presidente da República em relação a esta matéria. Mas nós confiamos que o senhor Presidente da República irá se inteirar sobre esta matéria de forma cabal, como tem sido a sua imagem de marca”.

Antes, Victor Freitas diz que “a estratégia de inventar conflitos institucionais para tentar virar madeirenses contra o Governo do PS na República não é nova, só convence quem anda distraído. Esta estratégia está a ser encetada pelo Governo PSD-M com objetivos político-partidários, instrumentalizando os órgãos de Governo próprio e a Autonomia ao serviço de um partido. Quem assim age demonstra falta de respeito pela Autonomia e pela inteligência dos madeirenses. O PSD que não confunda com a estratégia gizada por Miguel Albuquerque e Passos Coelho, cujo objetivo foi afastar Alberto João Jardim do poder, utilizando para isso o Plano de Ajustamento Económico e Financeiro, sacrificando os madeirenses, para satisfação de Miguel Albuquerque no seu assalto ao poder, dentro e fora do partido. A estratégia utilizada levou a que a Madeira atingisse a soma astronómica de 25.000 desempregados, a que 15.000 tenham saído para as terras de emigração, a falências em catadupa, ao aumento exponencial da pobreza na Madeira, etc. Esta estratégia foi colocada a nu pelo próprio Alberto João Jardim em sucessivas declarações.

Os fatídicos incêndios de 2016 causaram milhões de euros de prejuízo à Região e o Governo da República prontamente disponibilizou-se para ajudar a Madeira, como é do conhecimento público. Desta verba há dinheiro para a consolidação de escarpas, medidas de segurança às populações e verbas para equipamentos de proteção civil para os bombeiros”.

redes sociais

agenda

acção socialista | digital

 

militante

 

Vídeos

 

newsletter

Inscreva-se na nossa newsletter para saber as últimas novidades!