A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«O futuro da Madeira começou hoje. Vamos todos arregaçar as mangas!»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«A nossa marca é a proximidade e o envolvimento dos cidadãos, da sociedade civil, na construção de um futuro comum»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«Nós não queremos mudar o poder pelo poder. Temos uma estratégia de desenvolvimento para a Região assente numa agenda social, humanista, progressista, mas que quer, acima de tudo, mudar aquilo que tem sido um paradigma de um governo Regional que tem governado para o partido, tem governado para alguns interesses, não tem governado para o coletivo»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«Temos uma Região que não tem petróleo nem diamantes, mas temos as pessoas, pessoas que querem concretizar sonhos, construir o futuro, que são trabalhadoras, empreendedoras e resilientes. É nestas pessoas, na sua educação, que nós devemos apostar, na qualificação da nossa população, porque esse é e será o principal fator de desenvolvimento»
1

PS PREPARADO PARA «DERRUBAR O PODER TENTACULAR QUE GOVERNA A RAM HÁ 42 ANOS»

Tomaram posse as secções e concelhias do Partido Socialista-Madeira, que foram eleitas nos passados dias 11 e 12 deste mês. Na cerimónia de posse, o presidente do PS-M relevou a importância deste ato, considerando-o um passo importante para a organização do partido.

«Nós, naturalmente, estamos a trabalhar, a organizar a casa», referiu o líder dos socialistas madeirenses, adiantando que, depois do partido organizado nas suas secções e concelhias, o PS irá organizar, já no dia 9 de junho, a primeira Convenção dos Estados Gerais e lembrando que, no próximo fim-de-semana, decorre o Congresso Nacional do partido, no qual a Madeira estará representada como nunca esteve, com a maior delegação de sempre. «Isso é demonstrativo de todo um trabalho que tem sido feito sempre a pensar nos madeirenses e porto-santenses, sempre com os valores autonómicos ao de cima», vincou Emanuel Câmara.

Aliás, o dirigente socialista esclareceu que «ninguém nos dá lições de autonomia», lembrando que «se houve protagonistas da autonomia na Região Autónoma da Madeira (RAM), esses eram pessoas de esquerda, socialistas, não eram aqueles que agora falam de autonomia para defender os cargos, os tachos e as benesses que têm».

«O PS é um partido que já existe antes do 25 de abril, um partido que tem valores democráticos, que sabe o que é enfrentar ditaduras», afirmou Emanuel Câmara, frisando que «nós também aqui na Madeira já estamos preparados para derrubar a ditadura que durante 42 anos nos manda na RAM».

O responsável lembrou a sua estratégia enquanto líder do PS, com Paulo Cafôfo como candidato a presidente do Governo Regional, salientando o objetivo de «derrubar o PSD com a coligação com os madeirenses e porto-santenses». Disse também que sempre foi uma pessoa com convicções socialistas e sempre a pensar no futuro da RAM, perspetivando a alternância democrática, referindo ainda que espera ter a «felicidade de ser o presidente do PS-Madeira quando o PS, finalmente, conseguir derrubar o poder tentacular que ainda governa a Região Autónoma da Madeira há 42 anos».

Recorde-se que, nos dias 11 e 12 deste mês, foram eleitos os onze presidentes de concelhias do PS-M e 21 secretários coordenadores de secções, tendo a tomada de posse decorrido esta tarde na sede do partido.

À margem da cerimónia, instado pelos jornalistas, Emanuel Câmara confirmou que se irá encontrar com António Costa, na qualidade de secretário-geral do PS, na segunda-feira.


redes sociais

acção socialista | digital

 

militante

 

Vídeos

 

newsletter

Inscreva-se na nossa newsletter para saber as últimas novidades!