Convenção Autárquica
«O PSD lembrou-se que tem de ganhar eleições e é agora, só neste momento, que estão a trabalhar para isso, enquanto nós estamos a trabalhar desde o primeiro momento pelas pessoas e não nos esquecemos disso»
Convenção Autárquica
«O PS não defende há muito tempo estas medidas que Miguel Albuquerque está a apresentar agora. O PS já executa estas medidas onde é poder. Essa é que é a grande diferença»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«O futuro da Madeira começou hoje. Vamos todos arregaçar as mangas!»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«A nossa marca é a proximidade e o envolvimento dos cidadãos, da sociedade civil, na construção de um futuro comum»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«Nós não queremos mudar o poder pelo poder. Temos uma estratégia de desenvolvimento para a Região assente numa agenda social, humanista, progressista, mas que quer, acima de tudo, mudar aquilo que tem sido um paradigma de um governo Regional que tem governado para o partido, tem governado para alguns interesses, não tem governado para o coletivo»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«Temos uma Região que não tem petróleo nem diamantes, mas temos as pessoas, pessoas que querem concretizar sonhos, construir o futuro, que são trabalhadoras, empreendedoras e resilientes. É nestas pessoas, na sua educação, que nós devemos apostar, na qualificação da nossa população, porque esse é e será o principal fator de desenvolvimento»
1

PS-M REFLETE SOBRE UM NOVO MODELO REGIONAL PARA A EDUCAÇÃO

O PS-Madeira promoveu a primeira de um conjunto de mesas temáticas sobre a Educação. O debate, que decorreu na sede do partido, foi subordinado ao tema “Repensar o Modelo do Sistema Educativo Regional”. Rui Caetano, membro da direção do PS-M, explicou que o partido está a lançar estas mesas de debate para refletir sobre as questões ligadas ao setor.

 

«Nós queremos refletir, de forma aprofundada, um novo modelo regional para a Educação. Queremos redefinir as escolas, redefinir as ideias e as propostas para que consigamos produzir um programa eleitoral que vá ao encontro das aspirações dos alunos, dos professores e da sociedade em geral», salientou.

Este responsável referiu ser fundamental «olhar para a Escola com uma outra visão, onde o centro são as aprendizagens, não apenas dos alunos, mas também dos professores e de toda a sociedade».

Sendo já conhecidos os problemas das escolas, Rui Caetano frisou que «o que nós queremos é pensar em propostas, em soluções e em alternativas para aquilo que já se faz hoje na escola e que nós consideramos que não é o mais eficiente». Daí a criação destas mesas de debate, para, de forma setorial, ouvir as pessoas que estão dia a dia nas escolas, que estudam e investigam as questões da Educação, para, depois, o PS-M, «dentro dos seus princípios e dos seus valores, mas de forma consensual, encontrar um programa que vá, na verdade, ao encontro de uma melhor Escola e de uma melhor aprendizagem para os alunos, mas também sem esquecer os professores».

O responsável esclareceu que há uma linha da qual o partido não abdica, que é a melhoria das aprendizagens, mas também a dignificação da classe docente. «Nós só conseguimos mudar uma escola se estivermos com os professores e não contra estes, se estivermos com os pais, com os encarregados de educação, com os alunos e não contra eles», vincou, rematando que o PS tem um pensamento diferente para a Escola e que vai construir propostas que apresentará posteriormente aos madeirenses.

redes sociais

agenda

acção socialista | digital

 

militante

 

Vídeos

 

newsletter

Inscreva-se na nossa newsletter para saber as últimas novidades!