1

CARLOS PEREIRA HÁ MUITO QUE ALERTAVA PARA EFEITO CATASTRÓFICO DA DÍVIDA

O presidente do PS-Madeira, Carlos Pereira, abordou, esta manhã, o Orçamento Regional para 2018, deixando várias críticas ao Executivo de Miguel Albuquerque. O dirigente socialista lamentou que mais de 95 por cento das propostas apresentadas pelo partido não tenham sido atendidas, descrevendo a insensibilidade do orçamento.

Particularmente preocupantes para o PS-Madeira são, segundo Carlos Pereira, as reduções nos setores da educação e da saúde. 

"Apesar do prometido, o governo regional não fez nenhuma viragem na austeridade", acusou Carlos Pereira, que explicou que a redução no IRS se deve apenas às medidas nacionais, além de considerar a redução do IRC como insuficiente. 

"A redução que o governo propõe é, em média, de 15 euros por empresa, o que nos permite perguntar se é suficiente para contratar mais pessoas ou investir", apontou. 

Também alvo de críticas foi o valor alocado para o serviço da dívida, mais de 600 milhões de euros, que na óptica do líder socialista "dava para construir dois hospitais". 

Pagamento da dívida, que segundo o PS-M, "correspondente a 33 por cento do orçamento", um valor sobre o qual "os madeirenses e porto-santenses devem refletir". "Durante anos e anos alertámos para o endividamento e para os efeitos catastróficos, pelo que temos legitimidade para falar", considerou Carlos Pereira.

 

redes sociais

agenda

acção socialista | digital

 

militante

 

newsletter

Inscreva-se na nossa newsletter para saber as últimas novidades!