A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«O futuro da Madeira começou hoje. Vamos todos arregaçar as mangas!»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«A nossa marca é a proximidade e o envolvimento dos cidadãos, da sociedade civil, na construção de um futuro comum»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«Nós não queremos mudar o poder pelo poder. Temos uma estratégia de desenvolvimento para a Região assente numa agenda social, humanista, progressista, mas que quer, acima de tudo, mudar aquilo que tem sido um paradigma de um governo Regional que tem governado para o partido, tem governado para alguns interesses, não tem governado para o coletivo»
A Madeira que queremos - Diálogos com Paulo Cafôfo
«Temos uma Região que não tem petróleo nem diamantes, mas temos as pessoas, pessoas que querem concretizar sonhos, construir o futuro, que são trabalhadoras, empreendedoras e resilientes. É nestas pessoas, na sua educação, que nós devemos apostar, na qualificação da nossa população, porque esse é e será o principal fator de desenvolvimento»
1

CARLOS PEREIRA ACUSA GOVERNO REGIONAL DE NÃO APOIAR FAMÍLIAS MADEIRENSES

O líder do PS-M, Carlos Pereira, lamentou que as primeiras notícias sobre o Orçamento Regional não vão ao encontro daqueles que são os anseios da população, no que concerne à redução da carga fiscal, no sentido de garantir maior rendimento e melhores condições de vida para as famílias madeirenses.

"A proposta anunciada, hoje, num órgão de comunicação social, nomeadamente no Diário de Notícias, sobre a redução do IRC para as pequenas e médias empresas é uma notícia que vem ao encontro da proposta do PS". "No entanto fica, bastante, aquém da proposta socialista, que permitia uma maior redução fiscal de modo a incentivar as pequenas e médias empresas, a criar emprego e a dinamizar a economia regional."

Carlos Pereira sublinhou que "esta atitude do governo regional é um ato de insensibilidade social, porque anuncia mexidas no IRC para o favorecimento das empresas, que nos parece também importante, mas esquece e ignora as alterações que têm de ser feitas no quadro do IRS para apoiar as famílias". O dirigente socialista "não está de acordo que aquilo que tem sido a consolidação orçamental que o Governo Regional se tem gabado de fazer, continue todo em cima das famílias, sobretudo, à custa dos mais desfavorecidos". Não é razoável que o Governo Regional não siga as políticas nacionais no que concerne à redução do peso fiscal daqueles que ganham menos.

Carlos Pereira entende que o Orçamento Regional para 2018 deve ser baseado numa política social, clara, que venha apoiar as famílias madeirenses e porto santenses, na sequência de uma austeridade excessiva, que foi implementada pelo governo do PSD/CDS, que também foi ajudada e incentivada pelo governo do PSD da Madeira, em que o Dr. Miguel Albuquerque é, atualmente, o seu expoente máximo.

redes sociais

acção socialista | digital

 

militante

 

Vídeos

 

newsletter

Inscreva-se na nossa newsletter para saber as últimas novidades!